Os primeiros povos da América e os índios do Brasil
13823 views
27 de Junho de 2011
Organização social
Curacas
Grupos não privilegiados
Nobreza real
Organização política
Cultura e arte
Huitzilíhuitl (1395–1417)
Chimalpopoca (1417–1427)
Itzcóatl (1427-1440)
Montezuma I (1440-1469)
Axayacatl (1469-1481)
Tízoc (1481-1486)
Ahuizotl (1486-1502)
Cuauhtémoc (1520-1521)
Cuitláhuac (1520)
 

 

 

 

Dica: utilize esta barra ou o botão de rolagem do mouse para aumentar ou diminuir o zoom.
Dica 2: para navegar neste Laifi, clique em alguma região vazia e arraste-o para a direção desejada.

Laifis em destaque
Robert Crumb - Vida e Obr...
41 postagens
Mamíferos aquáticos
49 postagens
Mulheres nas Ciências Exa...
22 postagens
Atividades infantis de Ma...
59 postagens
Érico Veríssimo - Vida e ...
34 postagens

 

Grupos não privilegiados - Os grupos menos privilegiados dentro da sociedade inca era composto por: Comunidade ayllu: era uma comunidade de camponeses unidos por vínculos familiares que tinham antepassados em comum e habitavam o mesmo território. O Estado entregava terras a cada comunidade para sua subsistência. Anualmente, o chefe local ou curaca, pagava parcelas a cada família de acordo com o número de seus componentes. As terras eram trabalhadas coletivamente por todos os membros da comunidade. Regularmente eles deviam entregar fortes tributos em produtos e em trabalho ao Estado e aos curacas. Comunidade mitimaes: eram comunidades camponesas que haviam perdido suas terras de origem. Em alguns casos tratava-se de colonos que os incas enviavam as regiões rebeldes, para instalá-los ali como fonte de controle e informação. Em sua nova residência, eles reproduziam seu ayllu e costumes. Em outros casos, eles pertenciam a um povo que havia crescido em armas. Como castigo, eles eram deslocados para o lugar mais longe da sua região de origem. Comunidade yanas ou servos: derivavam de diversos grupos. A maioria era constituída por prisioneiros de guerra, mas às vezes eram meramente jovens recrutados pelo Imperador. Não tinham privilégios do ayllu e não tinham vínculos e atributos étnicos. Frequentemente eram presenteados aos nobres, para que trabalhassem em suas terras. Boa parte deles era formada de servidores do palácio imperial ou dos templos. Entretanto, não se pode dizer que foram escravos, já que era lícito possuir terras, ganhos e bens, que só podiam ser passados para um de seus filhos.
Laifi © 2011-2017 Idioma: Português (BR) | Sobre o Laifi | Termos de uso | Política de privacidade | Ajuda