História do S.C. Internacional
2043 views
22 de Junho de 2011
Fundação do Internacional
Como foram definidas as cores do clube?
Como surgiu o símbolo do Internacional?
O Internacional vai para os gramados!
1909 a 1930
Primeiro Título Estadual - 1927
1930 a 1940
O Rolo Compressor
Curiosidade
Década de 1950
O Inter é convidado para jogar na casa do rival
Inter e a seleção Brasileira
o Hino
Década de 1960
Década de 1970
O primeiro título nacional
O Inter conquista o bi-campeonato
O Inter conquista o Tri
Década de 1980
Década de 1990
Gre-Nal dos 5 x 2
Década de 2000
O Internacional volta a ser internacional
INTER CAMPEÃO DO MUNDO
RECOPA
Dubai Cup
Copa Sul-Americana
Década de 2010/2011
A América é vermelha novamente
FINAL CAMP. GAÚCHO / GRE-NAL
Inter x Milan
Ídolos que se foram
Modernização do Beira-Rio
Aniversário de Porto Alegre - 240 anos
Categorias de base
04/04/2012 - Aniversário de 103 anos
 
Você pode ajudar a construir este Laifi! Para inserir textos, imagens ou vídeos, passe o mouse sobre o lápis do item desejado e escolha "Incluir".

Dica: utilize esta barra ou o botão de rolagem do mouse para aumentar ou diminuir o zoom.
Dica 2: para navegar neste Laifi, clique em alguma região vazia e arraste-o para a direção desejada.

Laifis em destaque
Clubes do futebol inglês
23 postagens
Grêmio na Libertadores 19...
23 postagens
Brasil 2 x 2 Paraguai - C...
12 postagens
Artes Marciais
19 postagens
Tênis
36 postagens

 

RECOPA - Em 2007, um ano após o Inter ter faturado o Barcelona, chegava a hora de disputar a Recopa Sul-Americana. São dois jogos entre o vencedor da Libertadores e o vencedor da Copa Sul-Americana. Nesse ano, o Inter iria enfrentar o Pachuca, do México. O Beira-Rio começou cedo a se preparar para a grande decisão. Duas horas antes da partida, cerca de 20 mil pessoas já haviam entrado no estádio do campeão do mundo Fifa. Aos poucos, todos os espaços para a torcida eram tomados. Com gritos de apoio ou cantando os hinos do Inter e do Rio Grande do Sul, os colorados foram aquecendo o ambiente para a final. O time recebeu a primeira manifestação de carinho e apoio já na chegada ao Beira-Rio, vindo da concentração realizada em um hotel. Ao descerem do ônibus, na porta do vestiário, os jogadores se depararam com muitos gritos de incentivo dos torcedores. O jogo em Porto Alegre teve seu início retardado devido ao atraso da partida entre Boca Juniors e Cúcuta, pela Libertadores, que ficou interrompida por um bom tempo graças à neblina em Buenos Aires. Quando o Inter entrou em campo, houve uma explosão de alegria nas arquibancadas. Com sinalizadores e fogos de artifício, a torcida criou um belo espetáculo pirotécnico, como fez em todos os jogos da inesquecível campanha da conquista da Copa Libertadores da América, no ano passado. O Inter foi a campo com algumas mudanças em relação à primeira partida realizada no México, onde perdeu por 2 a 1. O zagueiro Índio retornou ao time depois de cumprir suspensão automática. No meio-campo, Alex começou o jogo no lugar de Maycon. Na frente, Iarley formou a dupla com Alexandre Pato, já que Fernandão, lesionado, não pôde atuar. Os mexicanos atuaram com o time completo, inclusive com a volta do meia Chitiva, da seleção colombiana, e do atacante Cacho, da seleção mexicana. No gol, o experiente Calero, também da seleção colombiana. O Pachuva começou com um esquema 3-5-2, com Mosquera como líbero. O primeiro tempo do Inter foi extremamente eficiente. Com marcação forte e sob pressão, o time colorado não deixou os mexicanos jogar. Para se ter idéia, o Pachuca não deu um chute a gol durante todos os primeiros 45 minutos. Todo o time marcava e participava do sistema de bloqueio ao adversário, até os atacantes. Bem na marcação, o Inter teve força também no ataque. Os primeiros minutos foram de pressão em busca do gol. Aos 2min45seg, Iarley cruzou da direita, Pinga matou a bola na área e, quando iria chutar, a zaga salvou. Na seqüência do lance, Alex recebeu na área e Mosquera cortou de carrinho para escanteio. Na cobrança, Sidnei cabeceou por cima. Aos 8min10seg, Rubens Cardoso cruzou da esquerda e Alexandre Pato se antecipou à zaga para concluir ao lado do gol, com muito perigo. Aos 9min, Pato tocou para Iarley na área, que devolveu para o garoto chutar e Calero defender. Depois dos 15 minutos, o Pachuca passou a tocar mais a bola para esfriar o ânimo colorado. Isso arrefeceu um pouco o Inter, que só foi concluir aos 27min50seg com um chute de Wellington Monteiro ao lado do gol. Aos 28min30seg, Iarley recebeu passe de Alexandre Pato na área e foi derrubado por Pinto: pênalti. Na cobrança. Aos 29min50seg, Alex cobrou no canto, o goleiro Calero chegou a tocar na bola, mas ela entrou. Gol colorado. Festa para os cerca de 50 mil colorados no Beira-Rio. Foi o segundo gol de Alex na temporada e o 18º com a camisa do Inter. Com a vantagem, o time do técnico Alexandre Gallo passou a se posicionar mais atrás e partir para os contra-ataques, roubando a bola. Aos 33min, o goleiro Calero tentou passar a bola, errou e chutou a bola em Iarley, que quase conseguiu roubar para marcar o segundo gol. Aos 40min, Pinga retomou a bola no meio e tocou para Alexandre Pato, de fora da área, concluir forte. A bola tocou na defesa e saiu ao lado com perigo. Aos 44min, Alexandre Pato recebeu passe na área, ganhou de Mosquera e chutou para defesa sensacional de Calero. No rebote, Pato chutou de novo e o goleiro fez novo milagre. Aos 46min, Iarley ganhou jogada da zaga e quando iria concluir o juiz argentino Sérgio Pezzotta terminou o primeiro tempo, prejudicando o Inter. No intervalo, o técnico Enrique Meza colocou o time mais à frente, retirando o ala Salazar, de característica mais defesiva, e colocando o meia argentino Alvarez. O segundo tempo foi de uma eficiência ainda mais gritante para o Campeão da América, do Mundial Fifa e da Recopa. Bem postado atrás, o time colorado seguiu marcando forte, roubando bolas, puxando contra-ataques e empilhando gols. Aos 4min20seg, Rubens Cardoso cruzou da esquerda, a bola sobrou para Wellington Monteiro matar na área e recuar para Pinga chutar de pé direito no canto: 2 a 0. Foi o primeiro gol do meia com a camisa colorada. Com o gol, a torcida do Inter enlouqueceu nas arquibancadas. Passou a cantar ainda mais forte, confiante no título que se aproximava. A cada minuto, mais e mais espaços de contra-ataques para o time colorado. Era só questão de explorá-los com competência. E eles foram explorados. Aos 10min, Cacho recebeu na entrada da área e chutou para defesa de Clemer. Foi o primeiro chute dos mexicanos a gol. Isto com 55 minutos de partida. Aos 12min40seg, Alvarez cruzou da esquerda, Clemer salvou de soco. No rebote, Gimenez chutou por cima. Aos 13min20seg, Wellington Monteiro deu grande passe para Iarley na área chutar para nova defesa de Calero. Aos 15min, saiu Chitiva no Pachuca para a entrada do atacante Landin. O espírito solidário falava mais alto no Inter. Todos participavam das tarefas de marcação. Pra se ter idéia, aos 15min10seg, o atacante Alexandre Pato afastou uma bola da área do Inter de cabeça, depois de cobrança de falta. Aos 18min30seg, Pato recebeu lançamento, entrou na área, enganou o zagueiro Lopez com uma gingada de corpo e chutou forte e rasteiro para fazer 3 a 0. Foi o sexto gol do artilheiro colorado na temporada e o oitavo com a camisa do Inter. Aos 20min, saiu Rubens Cardoso e entrou Maycon. Com isso, Alex passou para a lateral-esquerda. Nas arquibancadas, a torcida do Inter já cantava é campeão! Isto que faltavam 25 minutos para o jogo acabar. Aos 23min15seg, Gimenez cobrou falta e Mosquera cabeceou por cima. Aos 30min, Alexandre Pato, um dos grandes destaques do jogo, fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Iarley chutar de primeira no corpo de um zagueiro. Quase mais um. Aos 31min30seg, Pinga, outro de excelente atuação, roubou a bola, entrou na área e cruzou para Alexandre Pato. Mosquera tentou cortar e marcou gol contra. Um massacre colorado nos mexicanos! Aos 34min, entrou Rodriguez e saiu Cabrera. Um minuto depois, saiu Sidnei e entrou Mineiro no Inter. Aos 36min, Pinto fez falta dura em Iarley e foi expulso. Aos 39min, saiu Pinga, muito aplaudido pelos torcedores, e entrou Perdigão. Aos 41min10seg, Perdigão deu grande passe para Alexandre Pato entrar na área e chutar para defesa de Calero. Aos 42min30seg, novamente Pato chutou forte para o goleiro colombiano evitar o quinto gol. Depois disso, o time colorado passou a tocar a bola e esperar o apito final. Quando ele chegou, o carnaval colorado se espalhou pelo Beira-Rio e pelo Estado. Uma apoteose no gramado com direito a invasão de torcedores, jogadores sendo abraçados e muita festa.
Laifi © 2011-2022 Idioma: Português (BR) | Sobre o Laifi | Termos de uso | Política de privacidade | Ajuda