HISTÓRIA DAS IDEIAS PEDAGÓGICAS
10075 views
05 de Julho de 2012
Oriental
Grego
Romano
Medieval
Santo Agostinho
São Tomás de Aquino
Renascentista
Montaigne
Lutero
Os Jesuítas
Moderno
Comênio
Locke
Iluminista
Rosseau
Pestalozzi
Herbart
A revolução Francesa
Positivista
Spencer
Durkheim
Whitehead
Socialista
Marx
Lênin
Makarenko
Gramsci
Escola Nova
Dewey
Montessori
Claparède
Piaget
Fenomenológico- Existencialista
Buber
Korczak
Gusdorf
Pantillon
Antiautoritário
Freinet
Rogers
Lobrot
Crítico
Bourdieu- Passeron
Baudelot- Establet
Giroux
3º Mundo
África
Nyerere
Cabral
Faundez
América latina
Francisco Gutiérrez
Rosa Maria Torres
Maria Teresa Nidelcoff
Emília Ferreiro
Juan Carlos Tedesco
Brasileiro
Liberal
Fernando Azevedo
Lourenço Filho
Anísio teixeira
Roque Spencer Maciel de Barros
Progressista
Paschoal Lemme
Álvaro Vieira Pinto
Paulo Freire
Rubem Alves
Maurício Tragtenberg
Demerval Saviani
 

 

 

 

Dica: utilize esta barra ou o botão de rolagem do mouse para aumentar ou diminuir o zoom.
Dica 2: para navegar neste Laifi, clique em alguma região vazia e arraste-o para a direção desejada.

Laifis em destaque
Processo de formação do r...
33 postagens
Animais peçonhentos e ven...
18 postagens
Equilíbrio Químico
41 postagens
Componentes do jogo de xa...
37 postagens
Escravidão no Brasil
32 postagens

 

Maria Teresa Nidelcoff - MARIA TERESA NIDELCOFF Educadora argentina. Desenvolveu suas atividades práticas com crianças da classe trabalhadora no bairros operários de Buenos Aires. Sua obra visou formar educadores engajados, que denominava “professores-povo”, contrapondo-se à formação do educador tradicional (“neuto”) e ao educador das classes dominantes que denominava “professor-policial”. Procurava substitutir a atitude “policialesca e castradora” desde por uma atitude criativa de “engajamento” na cultura do educando do “professorpovo”. Para ela os professores podem e devem constituir-se em elementos da mudança numa sociedade preocupada em manter as coisas como estão. Para isso, a mudança de atitude e uma compreensão concreta da realidade local e da escola por parte do magistério são fundamentais. Nildelcoff afirma que a escola “real”, em que os estudantes vivem suas experiência pedagógicas concretas, é substancialmente diferente da escola “teórica” projetada pelos donos do poder para preservar e reproduzir as normas sociais vigentes. Diante da “massificação” da pedagogia e da sociedade ela propõe que os professores comecem a atuar com maior participação no processo educativo e iniciar a criação de uma didática que surja deles mesmos, que interrompa o processo de despersonalização da educação e, acima de tudo, possa começar a ser aplicada agora, sem esperar que as coisas mudem para que as mudanças internas possam acontecer. A obra de Nidelcoff situa-se entre aquelas que buscam o estudo da própria realidade como técnica de transformação e mudança. Principais obras: Uma escola para o povo; A escola e a compreensão da realidade e As ciências sociais na escola.
Laifi © 2011-2018 Idioma: Português (BR) | Sobre o Laifi | Termos de uso | Política de privacidade | Ajuda