Regimes/ Dietas
4282 views
05 de Outubro de 2011
O que são regimes/e ou dietas?
Receitas de Dietas (Populares)
Regimes alimentares vegetarianos
Regimes de muito poucas calorias
Regimes (Nutricionistas)
Suplementos para dietas
Curiosidades
Revistas
 
Você pode ajudar a construir este Laifi! Para inserir textos, imagens ou vídeos, passe o mouse sobre o lápis do item desejado e escolha "Incluir".

Dica: utilize esta barra ou o botão de rolagem do mouse para aumentar ou diminuir o zoom.
Dica 2: para navegar neste Laifi, clique em alguma região vazia e arraste-o para a direção desejada.

Laifis em destaque
Rick Riordan
9 postagens
Meia-calça
44 postagens
Tipos de Cafés
30 postagens
Exército Brasileiro
84 postagens
Camarão, Caranguejos e La...
34 postagens

 

Dieta ortomolecular - Nosso programa de dieta ortomolecuar é destinado a pessoas que desejam perder peso de modo natural, sem utilizar os famosos "remédios para emagrecer”. As substâncias presentes nesses medicamentos provocam sérios efeitos colaterais, dentre eles o famoso "efeito sanfona” – em que você volta a engordar tão logo suspenda a medicação. Buscamos com a Dieta Ortomolecular a redução e o controle do peso corporal de modo equilibrado, harmônico, com métodos preferencialmente naturais, utilizando, por exemplo, aminoácidos, fitoterápicos (ervas medicinais), homeopatia e acupuntura. O objetivo do método é fornecer os instrumentos necessários para que a pessoa equilibre o organismo e modifique seu modo de viver, perdendo peso de modo natural. ▪ Qual a diferença da Dieta Ortomolecular? As pessoas não engordam por um único motivo - logo também não existe um método para perder peso que sirva para todos. O ideal é um conjunto harmônico de medidas adequadas a cada indivíduo. De cada 100 pessoas com excesso de peso, apenas 5 sofrem de problemas hormonais ligados à gordura; 95 são gordas por outros motivos e não deveriam ingerir hormônios nem inibidores de apetite e nem fazer dietas insanas. Localizado o problema, o maior erro é seguir fazendo dietas e mais dietas para perder de peso – e que só irão gerar mais frustração. Ou, ainda pior, tomar "inibidores de apetite" por longos períodos de tempo. O resultado da ingestão desses remédios "miraculosos”, além de vários efeitos colaterais nocivos, é engordar novamente tão logo a medicação seja suspensa. O diferencial de nossa abordagem está em facilitar o aproveitamento dos alimentos pelo trato digestivo, em reduzir a compulsão alimentar (em especial no que se refere ao açúcar), em avaliar a intolerância a determinados grupos de alimentos e em favorecer o ânimo e a disposição, que devem ser utilizados para a atividade física e para mudar os hábitos de vida. E isso tudo sem utilizar os famosos "remédios para emagrecer". ▪ Como funciona a Dieta Ortomolecular? Sempre individualizado, o primeiro passo de nosso sistema é uma avaliação com consulta e exames clínicos. Em seguida é planejado um conjunto de medidas que objetiva a perda de peso com saúde e qualidade de vida, e que dedica especial atenção à origem do problema – e não apenas a seus sintomas. Os principais tópicos da Abordagem Ortomolecular são: 1. Dieta Ortomolecular na redução da compulsão por açúcar A ingestão excessiva de açúcar pode se ligar a dois fatores inter-relacionados: a ansiedade e mudanças na flora bacteriana do intestino. Alterações na flora intestinal podem estimular a multiplicação de bactérias que se alimentam preferencialmente de açúcar e têm a capacidade de inibir a produção de serotonina em nosso cérebro – a serotonina é um mediador químico cerebral muito importante no controle do humor e da ansiedade. Com menor produção de serotonina, a pessoa fica mais ansiosa, adquire tendência à depressão e acaba ingerindo mais e mais açúcar. O mais indicado, no caso, é regularizar a flora intestinal e não inibir artificialmente o apetite. 2. Dieta Ortomolecular na redução da compulsão por comida Excesso de pressão pode gerar ansiedade – e uma das formas de aliviar a ansiedade é comer. Ao combatermos o desequilíbrio provocado pela pressão do cotidiano, permitimos ao organismo ingerir apenas o que necessita para sua manutenção, e não para aliviar a tensão emocional. Combatemos essa tensãocom substâncias naturais, que não são tóxicas e nem produzem dependência. 3. Dieta Ortomolecular na intolerância e a alergia a determinados alimentos Nosso sistema é capaz de identificar uma eventual intolerância ou alergia a determinado alimento. A dificuldade em digerir e utilizar certos alimentos é um dos fenômenos que ocorrem na intolerância alimentar, que tem uma característica curiosa. Ao invés de a pessoa evitar o alimento que faz mal, como acontece nas alergias alimentares, no caso da intolerância ela pode desenvolver compulsão e ingerir o alimento em excesso. A chave é tratar a intolerância alimentar ao invés de reprimir o apetite. 4. Dieta Ortomolecular e o aproveitamento dos alimentos que ingerimos Nosso intestino é um imenso filtro que às vezes não funciona como deveria. O mau funcionamento intestinal pode dever-se, entre outras razões, a certas substâncias químicas que ingerimos ou que são adicionadas nos alimentos da nossa dieta. Pode acontecer, então, a chamada "alteração na permeabilidade intestinal" – o que acontece quando o filtro do intestino, em mau estado, permite a passagem de partículas alimentares mal-digeridas para a corrente sangüínea. É comum ocorrerem também alterações na flora intestinal, fazendo com que multipliquem bactérias nocivas que trazemos no intestino. O aumento da permeabilidade intestinal, somado ao das bactérias nocivas, é chamado "disbiose". Além de permitir a absorção de várias toxinas, a disbiose inibe a formação de vitaminas produzidas no intestino e permite o crescimento desordenado de fungos e bactérias capazes de afetar o funcionamento do cérebro, com conseqüências significativas sobre as emoções. O princípio é tratar a disbiose, causa original de vários transtornos alimentares e emocionais, e não abordar apenas suas conseqüências ou sintomas. 5. Dieta Ortomolecular e alimentação correta Alimentar-se conforme os princípios da saúde significa, basicamente, ingerir alimentos de baixo Índice Glicêmico de forma combinada. Alimentos de baixo IG são os que, depois de absorvidos, não provocam uma explosão nos níveis de glicose no sangue, evitando a liberação excessiva de insulina. Com os níveis de açúcar no sangue estáveis, sentimos menos fome. Em conseqüência da alimentação correta, o organismo passa a queimar a gordura acumulada quando necessita de energia, ao contrário do que acontece com as dietas indiscriminadas e com os inibidores de apetite, que nos levam a perder massa muscular e água. Já a combinação de alimentos é indicada porque certos alimentos são digeridos num meio ácido, enquanto outros pedem um meio alcalino – por isso deve-se evitar que sejam consumidos na mesma refeição. Com isso, as enzimas que digerem os alimentos podem atuar com mais eficiência, aproveitando melhor uma quantidade menor de comida. 6. Dieta Ortomolecular sempre com prática de atividade física adequada Não é qualquer tipo de atividade física que leva à queima de calorias e a um aumento do metabolismo. E essa atividade não precisa nem deve ser excessiva. Meia hora diária de atividade física adequada e bem-feita já é suficiente para produzir ótimos resultados, aumentando o metabolismo, melhorando o humor e favorecendo a perda de peso. Normalmente as pessoas com excesso de peso sofrem de múltiplas alterações, refletindo um desequilíbrio global – que deve ser abordado juntamente com as medidas apontadas acima. O resultado esperado é a perda e a manutenção do peso com saúde e vitalidade, abordando as causas efetivas do problema e não apenas suas consequências.
Laifi © 2011-2019 Idioma: Português (BR) | Sobre o Laifi | Termos de uso | Política de privacidade | Ajuda