Os Peixes
8458 views
23 de Agosto de 2011
Características para compra de peixes frescos
Como conservar o peixe
Como descongelar o peixe
Tipos de congelamento e embalagens
A Gordura dos Peixes
Peixes indicados para ensopado, moqueca...
Para Fritar ou Grelhar
Peixes de Água Doce
Peixes de Água Salgada
 

 

 

 

Dica: utilize esta barra ou o botão de rolagem do mouse para aumentar ou diminuir o zoom.
Dica 2: para navegar neste Laifi, clique em alguma região vazia e arraste-o para a direção desejada.

Laifis em destaque
Propriedades naturais da ...
21 postagens
Campeões de sódio
19 postagens
AVC
17 postagens
HIV
35 postagens
Higiene bucal
38 postagens

 

Anatomia do peixe - Forma do corpo A forma do corpo dos peixes "típicos" – basicamente fusiforme – é uma das suas melhores adaptações à locomoção dentro de água. A maioria dos peixes pelágicos (ver acima), principalmente os que formam cardumes activos, como os atuns, apresentam esta forma "típica". No entanto, há bastantes variações a esta forma típica, principalmente entre os demersais e nos peixes abissais (que vivem nas regiões mais profundas dos oceanos). Nestes últimos, o corpo pode ser globoso e apresentar excrescências que servem para atrair as suas presas. A variação mais dramática do corpo dos peixes encontra-se nos Pleuronectiformes, ordem a que pertencem os linguados e as solhas. Nestes animais, adaptados a viverem escondidos em fundos de areia, o corpo sofre metamorfoses durante o seu desenvolvimento larvar, de forma que os dois olhos ficam do mesmo lado do corpo – direito ou esquerdo, de acordo com a família. Muitos outros peixes demersais têm o corpo achatado dorsi-ventralmente para melhor se confundirem com o fundo. Alguns, como os góbios, que são peixes muito pequenos que vivem em estuários, têm inclusivamente as barbatanas ventrais transformadas num disco adesivo, para evitarem ser arrastados pelas correntes de maré Os Anguilliformes (enguias, congros e moreias) têm o corpo "anguiliforme", ou seja em forma de serpente, assim como algumas outras ordens de peixes. Os sentidos do peixe O peixe possui os mesmos cinco sentidos que um ser humano - visão, tacto, paladar, olfacto e audição. De todos eles, os dois últimos apresentam-se bastante mais desenvolvidos do que no Homem. Muitos peixes detectam os alimentos pelo cheiro e, frequentemente, a grandes distâncias. Os orifícios nasais de um peixe não são utilizados para respirar mas apenas para cheirar. No mundo submarino não existe consenso quanto ao nível a que a audição pode chegar e quando é que começa a detecção das vibrações de baixa frequência. Isto porque os peixes estão equipados com um sexto sentido, o sistema da linha lateral. Através de orifícios existentes numa fila de escamas, o sistema nervoso do peixe permite-Ihe detectar vibrações instantâneas no meio que o rodeia. Isto alerta-o para a presença de outros peixes ou de obstáculos na sua proximidade. A posição da boca indica qual o nível de profundidade em que o peixe geralmente habita. A boca virada para cima indica que o peixe frequenta normalmente a região próxima da superfície da água; nestes peixes, a boca possui a forma ideal para apanhar os insectos que se encontram a flutuar à superfície da água. Estes peixes apresentam quase sempre uma superfície dorsal direita. Os peixes cujas bocas estão localizadas na extremidade da cabeça, no enfiamento de uma linha imaginária que passa pelo meio do corpo, são exemplares que frequentam o nível médio de profundidade e apanham os alimentos à medida que eles vão caindo para o fundo, embora também consigam apanhar os alimentos que se encontram à superfície da água ou no fundo da água. Muitos outros peixes apresentam a boca virada para baixo, esta característica, aliada a uma superfície ventral lisa, indica que se trata de espécies que habitam no fundo da água. Mas estes peixes, cujas bocas viradas para baixo servem para raspar as algas das superfícies das rochas (e das paredes do aquário), podem não ser exclusivamente frequentadores do fundo. Alguns peixes de fundo apresentam uma espécie de barbas à volta da boca, as quais se encontram frequentemente equipadas com papilas gustativas que permitem ao peixe localizar mais facilmente os seus alimentos. As escamas As escamas dos peixes oferecem-Ihe não só protecção para o corpo como também Ihe conferem um maior aerodinamismo. Uma das variações à cobertura por escamas pode ser encontrada no grupo dos Peixes-Gato (Calictídeos), cujos corpos estão cobertos com duas ou três filas de cascas ósseas sobrepostas. Alguns peixes-gato, nomeadamente os Mocoquídeos e os Pimelodídeos, são ânus e não estão cobertos por escamas nem por cascas ósseas. Barbatanas: O peixe utiliza as suas barbatanas para se deslocar e manter a estabilidade e, em alguns casos, como auxiliares de postura durante o acasalamento ou no período de incubação dos ovos. As barbatanas podem apresentar-se isoladamente ou em pares. Tipicamente, os peixes apresentam os seguintes tipos de barbatanas e funções: Barbatanas dorsal: Dá estabilidade à natação. Se fosse cortada o peixe rodopiava sobre si mesmo continuadamente. Barbatanas anal: Dá estabilidade à natação e direcção. Barbatanas caudal: Permite ao peixe deslocar-se mais facilmente e rapidamente pela àgua. Serve ainda de leme. Duas barbatanas pélvicas: Ajudam à estabilidade do peixe na àgua e protegem os orgãos pelvicos. Duas barbatanas peitorais: Andamento e movimentação de lado para lado. Linha lateral: Um órgão específico dos peixes é a linha lateral, normalmente formada por uma fiada longitudinal de escamas perfuradas através das quais corre um canal que tem ligação com o sistema nervoso, aparentemente, este órgão tem funções relacionadas com a orientação, uma espécie de sentido do olfacto através do qual os peixes reconhecem as características das massas de água temperatura, (salinidade e outras). A linha lateral é um órgão sensorial. Ela pode ser facilmente identificada nos peixes, por estar posicionada nas laterais do peixe, formada por escamas com poros. Bexiga natatória: Órgão que mantém o peixe em equilíbrio na água. Permite ao peixe estar à superficie ou a varios metros de profundidade. A bexiga natatória tem a função de ajudar o peixe nessa necessidade de mais ou menos ar dentro do corpo para chegar ao fundo ou a superficie. Ocelo: Os ocelos têm como principal função o acasalamento. Quando a fêmea coloca os ovos na boca poderão ainda não ter sido fertilizados pelo macho, assim, o ocelo serve de chamariz para a fêmea se aproximar do macho e, ao tentar apanhar os ocelos, este fertilizar os ovos. Ao invés de a fêmea estar a apanhar mais ovos, está a receber a esperma do macho que vai fertilizar os ovos. Anatômia interna dos peixes Esqueleto Coração Aparelho digestivo Os peixes que apresentam cores mais carregadas possuem células de pigmentação no corpo e algumas espécies conseguem controlar a intensidade das cores que apresentam. Podemos observar este fenômeno com facilidade nos peixes que têm o hábito de repousar na areia ou nas pedras, adquirindo então a cor do local em que se encontram pousados. Existem outros peixes que "vestem" cores nocturnas. Os populares Peixes-Lápis (Nannostomus sp) são exemplos notáveis deste fenómeno e o aquariofilista inexperiente pode ficar admirado ao descobrir que estes peixes apresentam cores diferentes todas as manhãs. Os peixes sofrem estas alterações pela contração ou expansão das células de pigmentação (chromatophores) para intensificar ou reduzir a cor que se vê através da pele.
Laifi © 2011-2014 Idioma: Português (BR) | Sobre o Laifi | Termos de uso | Política de privacidade | Ajuda