Tipos de Vinhos
2166 views
28 de Julho de 2011
 
Você pode ajudar a construir este Laifi! Para inserir textos, imagens ou vídeos, passe o mouse sobre o lápis do item desejado e escolha "Incluir".

Dica: utilize esta barra ou o botão de rolagem do mouse para aumentar ou diminuir o zoom.
Dica 2: para navegar neste Laifi, clique em alguma região vazia e arraste-o para a direção desejada.

Laifis em destaque
Origami
54 postagens
Cantadas Engraçadas
38 postagens
Fim do Mundo 2012
27 postagens
Camarão, Caranguejos e La...
34 postagens
Os maiores QIs do mundo
32 postagens

 

Vinhos Americanos - Os missionários franciscanos plantaram as primeiras videiras na Califórnia por volta de 1779. Durante os cem anos que se seguiriam, as uvas plantadas pelos missionários continuaram sendo a base da viticultura na Califórnia, chegando aos pequenos viticultores em Los Angeles. O desenvolvimento da região estendeu-se para todo o estado e a fama da Califórnia como a região do vinho espalhou-se da mesma forma com que no norte Cáucaso (Rússia). Seguindo a Corrida do Ouro, em 1849, a população e os vinhedos instalaram-se no norte da baía do San Francisco e adjacências. O condado de SONOMA era o centro da atividade viticultural em 1891 e tinha 22.683 acres / 9.180 ha, destes, 18.000 acres pertencentes ao Napa Valley. No fim do século XIX um estouro extraordinário do investimento nos vinhedos beneficiou não apenas estes condados do norte da costa, mas também a Livermore e Santa Clara. A complexidade, riqueza e qualidade, já são características presentes nos vinhos californianos e tem repercutido em todo o mundo, tais atributos associados a esta região certamente a posiciona como uma das melhores produtoras do chamado Mundo Novo. Clima Os não familiarizados com a Califórnia atribuem-lhe a característica de clima mediterrâneo. Isto é uma realidade parcial, na verdade, as correntes da costa oceânica provocam uma névoa quase perpétua ao longo da costa, criando grandes áreas frias e úmidas, gerando condições perfeitas para o plantio de uvas em todo o território. A influência das névoas não alcança todo o interior da região, permitindo que haja diferenciação de clima, como se observa em San Joaquim Valley, onde o clima é quente e ensolarado e há o crescimento de uvas para a produção de vinhos. Viticultura As plantações encontradas na Califórnia após o fim da proibição eram praticamente uniformes, com espaçamento, cultivo e poda muito semelhante. Cultivo seco era a regra na costa norte, enquanto a irrigação da inundação era a prática em San Joaquin Valley. Durante a década de 60 a investida foi sobre a própria videira, que passou a ser tratada de forma variada, de acordo com a espécie. Em meados da década de 80 foram tomadas medidas a fim de evitar a proliferação de parasitas e doenças, especialmente a phylloxera vastatrix. Uma delas foi a alteração na distância entre videiras, variando entre 800 e 2000 videiras por hectare. O objetivo era fazer um exame da vantagem das variações na estrutura e em exposições do solo bem como variedade da videira, que foi tornando-se cada vez mais resistente à ação de pragas. Produção Sem tradição para produzir, a maioria dos produtores de vinho da Califórnia buscou incessantemente obter em suas vinhas o resultado que conseguiam na universidade. Compreender um processo e então controla-lo eram os primeiros objetivos dos típicos enólogos do estado. De todas as etapas da produção de um vinho, a fermentação foi a que recebeu mais atenção. A fermentação de temperatura controlada começou a ser aplicada na Califórnia na década de 40. Com o avanço dos tanques de aço inoxidável e de mais sistemas de refrigeração, na década de 60, veio a variação na fermentação, projetada para cada tipo específico de uva. Os tanques de aço ultra-higiênicos permitiam que a fermentação malolática fosse feita com maior controle. O avanço do maquinário na produção permitiu controlar a acidez do vinho, podendo agregar a este maior concentração de acidez. Apesar dessa possibilidade, o recurso não era muito utilizado nas regiões do litoral, onde as uvas têm, freqüentemente a acidez mais elevada. As barricas de carvalho francês eram utilizadas de forma variada, fermentando e envelhecendo tanto vinhos brancos como tintos. Com raras exceções, os vinhos tintos continuam a fermentar em tanques de aço inoxidável. O processo de fermentação é muito estudado e monitorado com muito cuidado. O maior objetivo a ser alcançado é a complexidade aromática. Envelhecer o vinho em barricas de carvalho tornou-se arte, e o cumprimento do tempo de envelhecimento tornou-se assunto de muito debate e experimentação. Tipos de Vinhos Uma das maiores características dos vinhos produzidos na Califórnia é a variedade. A produção de vinhos baratos (região central ou San Joaquin Valley), provém de poucas, mas grandes vinhas. A maioria das vinhas do estado se concentra na elaboração de vinhos mais caros, muitos de produção limitada e disponível somente em alguns mercados. Tipos de Uvas A variedade de uvas encontradas na Califórnia é uma das maiores do mundo graças a proporção elevada de produtores na região. As variedades mais plantadas são Chardonnay, cuja área total é de 57.000 acres / 23.000 ha. Cabernet Sauvignon e Chardonnay dominam etiquetas, enquanto os demais são utilizados mais freqüentemente para blends mais baratos. Há também alguns acres destinados ao cultivo de Sauvignon Blanc, Grenache e Barbera. Nota-se, entretanto, a provável influência italiana em vinhedos da Califórnia, mais particularmente com cultivo de Sangiovese. Outras variedades também apreciadas popularmente nos anos 90 são Zinfandel, Merlot, Syrah e Viognier. As variedades que constituem a especialidade da Califórnia, produzidas para o mercado interno e externo são: Charbono, Emerald Riesling, Flora, Green Hungarian, Petit Sirah, Ruby Cabernet, Symphony e Zinfandel. A ciência da identificação da videira pela observação humana, nunca foi uma prática muito comum na Califórnia. Nó século XIX, a identificação era feita de forma imprecisa e não se podia saber com exatidão a espécie da uva que havia crescido em determinadas regiões. Os "investigadores" modernos têm usado técnicas mais sofisticadas de identificar videiras, como o DNA, para testar e classificar os "ancestrais" que deram origem a determinados tipos de uva. Algumas das variedades encontradas não apresentam clara classificação, com é o caso da Gamay. Algumas delas apresentadas a seguir são as de maior importância na Califórnia, sendo facilmente identificadas em rótulos de vinhos produzidos na região. Uvas Tintas Cabernet Sauvignon De todas as variedades européias encontradas na Califórnia, a Cabernet Sauvignon é a que mais aparece na região, principalmente em Napa Valley. O Cabernet teve grande sucesso, mais especificamente em Napa, por volta de 1880, conforme indicavam os produtores da época. Suas características sempre foram apreciadas pelas autoridades do vinho, embora nem sempre pelo público consumidor. No início dos anos 60, uma celebridade do mercado de vinhos ingleses denominou o Cabernet de Sauvignon do Napa de "Burgundy da Califórnia". Essa comparação pode ser considerada exagerada por muitos, mas certamente demonstra um pouco da qualidade e complexidade encontrada neste Cabernet. Desde então, as plantações expandiram-se ao lado de florestas chuvosas e nos desertos, em inclinações da montanha e em leitos do rio. As variações de Cabernet encontradas nessas regiões são grandes, algumas possuem maior concentração alcoólica enquanto outras apresentam texturas ricas em taninos. Além de Napa, há também outras regiões produtoras de Cabernet. O condado de Sonoma é uma delas, seus distritos superiores, Alexander Valley e Sonoma Valley, também são grandes produtores de Cabernet Sauvignon. Merlot Um registro histórico sugere que o Merlot não havia obtido grande aceitação antes da proibição. O resultado era que praticamente havia desaparecido entre 1919 e 1969, quando, como um último suspiro, alguns produtores curiosos começaram a experimentar a combinação de Merlot com outros vinhos. O objetivo era fazer com que sua composição pudesse amaciar os taninos de um Cabernet Sauvignon. Desde meados dos anos 70, esse foi o motivo da sua exploração, e futuramente o motivo da explosão. Depois de obtidos resultados satisfatórios na combinação com outros vinhos, o Merlot passou a ter a fama de um vinho variável. Pinot Noir Pode se dizer que o sucesso do Pinot Noir na Califórnia é a combinação de 2 fatores: a névoa nos vinhedos e menos tempo na madeira das adegas do que antes, nos anos 80. Os primeiros produtores de Pinot Noir ficavam perplexos por décadas durante a produção do vinho, que ora apresentava grande consistência e tinham atributos dignos de vencedor, e ora tornavam-se maçantes para ser produzidos. Mais e mais vinícolas trabalham na produção de Pinot Noir utilizando-se de barricas de carvalho francês por menor tempo. As variações de tempo de fermentação do Pinot Noir podem diminuir ou não a complexidade na boca, bem como alteração na riqueza de texturas. Zinfandel Esta variedade de uva sofreu durante muito tempo problemas em sua imagem. Faltando um estilo europeu que inspirasse o cultivo, partiram iniciativas diretamente dos críticos para se criar um estilo próprio à fruta. Sabendo da característica indesejada de falta de identidade, explorou-se suas vantagens. O Zinfandel apresenta características próprias como textura robusta, potência do fruto (que produz maior consistência no suco) e elegante sabor. Embora tenha estrutura e peso favoráveis para um bom envelhecimento, os produtores não têm abandonado a exploração de seu glorioso sabor. Uvas Brancas Chardonnay Esta variedade de uva branca demorou a ser inserida nas terras da Califórnia, mas assim que chegou conquistou seu espaço. Tornou-se uma das mais importantes uvas utilizadas na produção de grandes vinhos californianos. É a uva branca principal do estado, mesmo assim, necessita de cuidados especiais para garantir seu desenvolvimento ideal. Em 1973 começaram a surgir os primeiros produtos de Chardonnay, saboroso e respeitável. Com a aprovação do público, iniciou-se uma nova corrida pelo ouro. Um ouro chamado Chardonnay. Estima-se que nos anos 80, tenham sido produzidos mais de 700 tipos de Chardonnay. Como na Bourgogne, o Chardonnay produzido na Califórnia é feito tanto quanto ou até mais nas adegas do que nas vinhas. A fermentação em barricas de carvalho, a fermentação malolática e os demais métodos de fermentação, bem como truques de produtores, entram em uma larga escala nos estilos de produção. Os produtores criaram sua própria maneira de elaboração do vinho, alguns utilizaram blends, outros trabalharam intensamente a fermentação e outros criaram famosas receitas na produção. A variedade da uva provou ser notavelmente adaptável, crescendo bem em todos os condados litorais. A Chardonnay é plantada mais extensamente nos condados de Napa, Monterey e Sonoma. Sauvignon Blanc Considerado por entendedores como a uva de grandes vinhos brancos da Califórnia, a Sauvignon Blanc talvez necessite de algumas alterações em sua concentração de sabor, para melhor adequar-se ao público, contudo, sabe-se que é forte, com grande aceitação no mercado. Alguns produtores envelhecem seu Sauvignon em carvalho novo, fazendo um assemblage com uma pequena porção de Chardonnay, ou acrescentam um corte de Sémillon, ajudando a criar um sabor moderado. Fonte: http://www.e-vinho.com.br/pais.php?pais=USA&continente=Am%E9ricas
Laifi © 2011-2020 Idioma: Português (BR) | Sobre o Laifi | Termos de uso | Política de privacidade | Ajuda