Tipos de Vinhos
2164 views
28 de Julho de 2011
 
Você pode ajudar a construir este Laifi! Para inserir textos, imagens ou vídeos, passe o mouse sobre o lápis do item desejado e escolha "Incluir".

Dica: utilize esta barra ou o botão de rolagem do mouse para aumentar ou diminuir o zoom.
Dica 2: para navegar neste Laifi, clique em alguma região vazia e arraste-o para a direção desejada.

Laifis em destaque
Rick Riordan
9 postagens
Sopas e Caldos - Receitas
39 postagens
Gírias Antigas
33 postagens
Penteados para festas
130 postagens
Os maiores QIs do mundo
32 postagens

 

Vinhos Canadenses - O Canadá tem se interessado e tem produzido vinho por muito tempo. Mas não é terrivelmente frio por lá? Sim, mas o Canadá nunca concorrerá com a região da Provence, e também não será excessivamente frio para as videiras se você souber onde plantá-las. A maioria dos vinhos canadenses não faz sucesso do outro lado da fronteira, e com razão, mas as coisas têm mudado para melhor. Os esforços com o Ice Wine têm sido excelentes, e o recente foco em outros estilos está ganhando o reconhecimento dos produtores pelo consistente trabalho. Os vinhos da atmosfera canadense nunca serão exultantes ou ousados, e o rápido crescimento da indústria oferece agora um agradável e aromático vinho de mesa. A alta acidez é típica, e muitos vinhos precisam de chaptalização. Os vinhos brancos de regiões frias lideram as vendas, mas o crescente número de discretos vinhos tintos, especialmente os Pinot Noir e Merlot, estão se aproximando rapidamente. A maioria é de vinhos encorpados, elegantes e são excelentes acompanhamentos para comida. Além de seus Vinhos de Mesa, o Canadá desenvolveu uma especialidade no acima mencionado Ice Wine, produzido na região desde 1970. Esta saborosa bebida é feita a partir de uvas super amadurecidas, deixadas nas vinhas até estarem literalmente congeladas, e isto ocorre habitualmente em Janeiro. As uvas são prensadas e o gelo descartado, restando somente uma ou duas gotas do açúcar concentrado de cada uva. Com um teor brix de 35 graus, a fermentação naturalmente termina em baixos 10 por cento. A doçura natural do Ice Wine é balanceada com uma acidez pura, de modo que os Alemães, que primeiramente inventaram o conceito, devem cobiçá-la. A produção, claro, é naturalmente limitada. O Clima Muitos invernos frios, latitude setentrional, a geada irregular e os ciclos de descongelamento da primavera têm moderada influência na grande densidade da água, imperativa para o sucesso de qualquer videira canadense. As videiras do Leste de Ontário são privilegiadas pela influência dos grandes lagos Ontário e Erie, enquanto que aquelas no Oeste dependem do lago Okanagan e do Oceano Pacífico. Grande parte das menores áreas do Québec e New Scotia está situada próxima ao Atlântico. Poucas videiras setentrionais são ensolaradas, outras recebem mais ou menos quantidade de horas de sol como a Bourgogne francesa, mas devido à sua proximidade com o Ártico a estação de cultivo Canadense é usualmente mais curta e conseqüentemente mais arriscada para o viticultor. Na Columbia Britânica, o Vale Okanagan ao leste da Cascade Range sobrevive em meio à chuva seca e sombra das montanhas, e ocasionalmente experimenta dias muito quentes (apesar das noites frias) quando influenciadas pelos ventos áridos das regiões desérticas do Sul dos Estados Unidos. Na ilha de Vancouver, afastada ao Oeste, o Oceano Pacífico ao mesmo tempo dá e tira as melhores condições ao permitir chuvas abundantes e longas estações de cultivo, mas também a deficiência de calor consistente. Os viticultores de Vancouver se comprometem com a concentração das variedades precocemente amadurecidas para obter seus vinhos encorpados e aromáticos. As Variedades O Canadá produz seus mais conhecidos vinhos brancos a partir das clássicas variedades Chardonnay, Riesling e Gewürztraminer tão bem quanto Pinot Gris, Pinot Blanc e algumas Sauvignon Blanc e Ehrenfelser. Os híbridos brancos, a maioria de Ontário, incluem Vidal Blanc, Seyval Blanc e outros. O vitorioso Ice Wine é feito a partir de Riesling, Vidal Blanc e Ehrenfelser. A Columbia Britânica tem grande reputação por oferecer mais de uma dúzia de respeitáveis vinhos frisantes, ainda que eles não sejam muito exportados. Os Vinhos Tintos Canadenses de prestígio são Merlot (particularmente na Columbia Britânica), Pinot Noir, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, e Gamay. Os híbridos são Marechal Foch e Baco Noir, e particularmente aqueles de “vinhas velhas” também têm seguimentos culturais em alguns lugares. Classificações A produção e venda de vinhos são controladas pelos governos das Províncias. Eles distribuem a maior parte de seus vinhos às lojas do Estado, que são quase ou completamente monopólios, embora alguns licenciem mercadores particulares. Devido à natural dificuldade de amadurecimento em algumas áreas, o açúcar é adicionado ao mosto. O sistema de denominação, chamado VQA (Vintners Quality Alliance) – é objeto de regulamentações provinciais e varia levemente de uma parte das regiões vinícolas para outras. Em Ontário e na Columbia Britânica, a certificação VQA requer que 100% das uvas sejam da Província, e os vinhos devem passar pela avaliação de painéis independentes de julgamento (Québec e outras áreas ainda não têm associações VQA). As uvas importadas não são permitidas em Vinhos VQA, mas em outras (como somente aquelas com indicação de “Produzido no Canadá") a prática é comum. As Regiões Columbia Britânica Em tamanho, esta é a segunda região vinícola mais importante do Canadá, mas em qualidade ela ganha de Ontário. Em duas áreas principais temos o Vale Okanagan (de longe a maior, totalizando 90% de regiões vitivinicultoras), seguida pelo Vale Similkameen, Vale Fraser e pela Ilha de Vancouver em regular desenvolvimento. A Columbia Britânica tinha aproximadamente 80 vinícolas no ano de 2000. Ontário Ontário tem a mais longa história do vinho Canadense, com um dos mais antigos negócios estabelecido na Ilha de Pelee no Lago Erie em 1866. Também é o maior produtor, tendo vendido mais de 4 milhões de garrafas em 1999. Possui 4.800 hectares dedicados as viníferas e videiras híbridas e mais da metade das vinícolas do país, com 55 engarrafadoras, com o prestigiado rótulo VQA. Suas mais populares variedades são os Chardonnay, Pinot Noir e Riesling. As três áreas distintas de cultivo são a Península Niágara (com mais de 9,000 acres), a Costa Norte do Lago Erie (com 800 hectares), e a Ilha Pelee (com 200 hectares). Outras suplementares vinhas, de uvas nativas, são usadas para a produção de suco de uva. Outras regiões vinícolas Québec, New Scotia e até mesmo Newfoundland, todas almejam ser grandes áreas vinícolas, mas são na maioria das vezes limitadas a pequenas produções de vinhos híbridos. A produção do vinho é crítica, devido à grande quantidade de neve que há por lá, e em algumas áreas as vinhas devem ser germinadas em estufas. Outros cultivadores se concentram em vinhos de maçã e de outras frutas. O regular aprimoramento do vinho canadense tem sido acompanhado pelo entusiasmo do turismo de vinho do país, uma agradável tendência apta a incentivar os cultivadores a ainda mais ambiciosos experimentos. O Canadá tem uma grande promessa para elegantes vinhos de mesa e de sobremesa com preço mais razoável (exceto o precioso Ice Wine), e com isso há esperanças de maiores exportações nos próximos anos. Então a previsão para o Canadá como um país vinícola é atualmente bastante promissora. Os componentes necessários para a estratégia de investimento e de interesse dos consumidores locais e estrangeiros já estão bem posicionados. E o exato gerenciamento viticultor, extremamente importante para baixas temperaturas, continua a passos acelerados. Fonte: http://www.e-vinho.com.br/pais.php?pais=Canad%E1&continente=Am%E9ricas
Laifi © 2011-2019 Idioma: Português (BR) | Sobre o Laifi | Termos de uso | Política de privacidade | Ajuda