Carnes Bovinas
7813 views
20 de Julho de 2011
Mitos antigos sobre o consumo da carne
Quantidade diária ideal e aumento do consumo
Visual e as vantagens da embalagem a vácuo
Os preconceitos com a carne crua
O gado e suas diferenças
A carne como alimento
Definições de carne
Noções de ciência da carne
Estrutura da carne
Conversão do músculo em carne
Características organolépticas da carne
Alterações na carne processada
Efeito da cocção
Cortes de Carnes
Cortes de Carnes (parte 2)
Bovinos Wagyu
Vídeos sobre os corte das carnes
 
Você pode ajudar a construir este Laifi! Para inserir textos, imagens ou vídeos, passe o mouse sobre o lápis do item desejado e escolha "Incluir".

Dica: utilize esta barra ou o botão de rolagem do mouse para aumentar ou diminuir o zoom.
Dica 2: para navegar neste Laifi, clique em alguma região vazia e arraste-o para a direção desejada.

Laifis em destaque
Gravidez mês a mês
35 postagens
Higiene bucal
38 postagens
Alimentos que derrubam o ...
18 postagens
Alimentação para cada fas...
35 postagens
O pódio das frutas
43 postagens

 

Efeito da cocção - O êxito do cozimento da carne, além das características do corte, baseia-se no binômio tempo-temperatura. Sobre as proteínas: Com o calor as proteínas desnaturam-se, ocorrendo coagulação. Quando a carne é bem cozida ocorre endurecimento, sendo esse denominado de "endurecimento protéico". Ao atingir uma temperatura em torno de 64°C as proteínas miofibrilares se tornam menos tenras e vão perdendo a capacidade de reter água. Em relação ao colágeno, esse fato é inverídico, pois é após a temperatura de 64°C que a molécula de colágeno solubiliza-se e, em presença de água, forma gelatina. Sendo que o processo térmico, nesse caso, melhora a digestibilidade da carne, já que da forma natural o colágeno é pouco digestível. Substâncias voláteis são liberadas com a cocção, conferindo o cheiro característico da carne cozida, em geral, são substâncias sulfuradas. Já a cor é devida a reações entre proteínas e açúcares naturais do músculo, que originam a cor acastanhada como conseqüência do aquecimento. Em síntese, o tratamento térmico deve ser moderado para que não haja resultados desfavoráveis, incluindo, nesse caso, diminuição da digestibilidade protéica e da disponibilidade de aminoácidos indispensáveis. Sobre a gordura: Um aquecimento exagerado torna as gorduras impróprias à alimentação, pois leva à formação de ACROLEÍNA, substância tóxica e volátil. Cabe ressaltar o perigo das gorduras de frituras, já que esse fato ocorre em óleos que são aquecidos a mais de 200°C por tempo prolongado. Sobre as vitaminas: O calor destrói facilmente as vitaminas, sendo relevante a porção de vitaminas que passa para a água de cozimento. Em síntese, calor excessivo é prejudicial à qualidade vitamínica da carne, portanto, é conveniente reduzir-se o quanto possível a temperatura de cocção. Fonte: http://www.cnpgc.embrapa.br/publicacoes/doc/doc77/03nocoescarne.html#3.1
Laifi © 2011-2017 Idioma: Português (BR) | Sobre o Laifi | Termos de uso | Política de privacidade | Ajuda