Vida e Obra de José Saramago
13145 views
12 de Julho de 2011
Romances
Peças Teatrais
Contos
Terra de Homens - 1979
Crônicas
Poemas
Diário e Memórias
Viagens
Infantil
Estilo de escrita do autor
Prêmios
Prêmio Camões (1995)
Frases célebres
"Se tens um coração de ferro, bom proveito. ...
"Não tenhamos pressa, mas não percamos tempo....
"Todos sabemos que cada dia que nasce é o pri...
"Dentro de nós há uma coisa que não tem nome,...
"Dirão, em som, as coisas que, calados,no sil...
"O que as vitórias têm de mau é que não são d...
"A única maneira de liquidar o dragão é corta...
"Das habilidades que o mundo sabe, essa é a q...
"Aprender com a experiência dos outros é meno...
Vídeos Interessantes
Curiosidades
Cinzas de Saramago são depositadas aos pés de uma ...
Livro inacabado será publicado em 2012
Países e línguas em que a obra foi publicada
 
Você pode ajudar a construir este Laifi! Para inserir textos, imagens ou vídeos, passe o mouse sobre o lápis do item desejado e escolha "Incluir".

Dica: utilize esta barra ou o botão de rolagem do mouse para aumentar ou diminuir o zoom.
Dica 2: para navegar neste Laifi, clique em alguma região vazia e arraste-o para a direção desejada.

Laifis em destaque
Principais idiomas falado...
11 postagens
Partes do Corpo Humano em...
67 postagens
Continente Antártico
19 postagens
Guerra das Rosas
58 postagens
Disputas territoriais
21 postagens

 

Os Poemas Possíveis - 1966 - Este mundo não presta, venha outro. / Já por tempo de mais aqui andamos / A fingir de razões suficientes. / Sejamos cães do cão: sab emos tudo / De morder os mais fracos se mandamos, / E de lamber as mãos, se dependentes. Na primeira obra poética de José Saramago descobre-se uma poesia de liberdade, de fraternidade e de luta. Uma luta disfarçada, por dentro das palavras. Pelo interior labiríntico de respiração que habitam todos estes poemas, publicados pela primeira vez em 1966. Digamos que eram os «poemas possíveis» da alt ura, quando a censura espiava a alma dos escritores. E no entanto, as convicções profundas de Saramago já são bem visíveis em poemas como «Criação»: «Deus não existe ainda, nem sei quando / Sequer o esboço, a cor se afirmará / No desenho confuso da passagem / De ge rações inúmeras nesta esfera. // Nenhum gesto se perde, nenhum traço, / Que o sentido da vida é este só: / Fazer da Terra um Deus que nos mereça, / E dar ao Universo o Deus que espera.» (Diário de Notícias, 9 de Outubro de 1998) http://www.mediabooks.com/catalogo/detalhes_produto.php?id=2286
Laifi © 2011-2022 Idioma: Português (BR) | Sobre o Laifi | Termos de uso | Política de privacidade | Ajuda