Mamonas Assassinas
1837 views
02 de Julho de 1995
Os integrantes do grupo
Bois Don't Cry
Cabeça de Bagre
Lá Vem o Alemão
Money
Mundo Animal
Pelados em Santos
Robocop Gay
Sábado de Sol
Sabão crá-crá
Uma Arlina Mulher
Vira-Vira
Chopis Centis
 

 

 

 

Dica: utilize esta barra ou o botão de rolagem do mouse para aumentar ou diminuir o zoom.
Dica 2: para navegar neste Laifi, clique em alguma região vazia e arraste-o para a direção desejada.

Laifis em destaque
Propagandas da Bombril
45 postagens
Cantores Líricos
61 postagens
Os videoclipes mais caros...
30 postagens
Caverna do Dragão
16 postagens
Bordões da Televisão Bras...
38 postagens

 

saudade! - Quem se encantou com o cabelo da hora da mina, com a saga de Manoel numa festinha esquisita e, ainda, com a transformação de um tal de RoboCop Gay pode relembrar os feitos de cinco rapazes de Guarulhos no documentário Mamonas pra Sempre, produção que chega hoje aos cinemas. Pouco mais de 15 anos após a morte repentina de todos os integrantes do grupo, que fez sucesso meteórico entre 1995 e 1996 e vendeu 3 milhões de cópias de seu único álbum, os fãs têm a chance de rever as estripulias de Dinho (vocal), Bento (guitarra), Júlio (teclados), Samuel (baixo) e Sérgio (bateria). Dirigido por Cláudio Kahns, o filme, que começou como uma pesquisa para a realização de um longa-metragem de ficção ou uma minissérie de TV, não traz grandes novidades sobre a banda e se baseia em duas vertentes: entrevistas com familiares e outros conhecidos dos membros da banda e imagens de arquivo pessoal, feitas pelos próprios artistas durante apresentações e viagens. A produção parte da história da banda Utopia e de como um rock mais sério deu lugar ao jeitão escrachado dos Mamonas Assassinas. Em 1990, durante um show do Utopia, que fazia covers de Legião Urbana, Titãs e Rush, o trio contou com a ajuda de um jovem da plateia para cantar uma música do Guns N’ Roses. O rapaz era Alecsander Alves, mais conhecido como Dinho. Já com Júlio e Dinho no grupo, a banda lançou seu primeiro disco, um fiasco que não vendeu nem 100 cópias. Longe dos palcos, o bom humor dos garotos já rendia paródias e sons mais engraçadinhos, que faziam sucesso nas apresentações. Resolveram, então, mudar o estilo e o nome da banda e criar um novo jeito de fazer rock. Nascia o fenômeno Mamonas Assassinas.
Laifi © 2011-2018 Idioma: Português (BR) | Sobre o Laifi | Termos de uso | Política de privacidade | Ajuda